User Experience Design (UX) versus User Interface Design (UI)

O design centrado no ser humano (HCD) considera a estrutura de projeto e gerenciamento que desenvolve soluções tendo em vista a perspectiva humana em todas as etapas do processo de solução de problemas.

O termo “User Experience” foi cunhado pelo cientista da cognição Don Norman enquanto trabalhava na Apple em uma equipe interdisciplinar que tinha como objetivo conhecer os aspectos relacionados à experiência do usuário, entre eles: processos de design industrial, desenvolvimento de interfaces, características gráficas e as interações físicas manuais de usuários com produtos tecnológicos.

O design voltado para a experiência do usuário não é novidade. Essa é uma tendência desde o final dos anos 1990. Desde a época, designers responsáveis por desenvolver produtos voltados para atender a experiência dos usuários não se concentravam apenas em número de vendas como indicador principal de sucesso para os projetos, mas atentavam também para outros outros aspectos, entre eles: prazer de uso, eficiência e também a diversão.

A experiência é um processo psicológico que apresenta as seguintes características:

  • É subjetiva por natureza: o que parece fácil para alguns usuários pode apresentar níveis de dificuldades quase intransponíveis para outros. O ser humano não compreende de modo uniforme e idêntico a linguagem (textual ou metafórica) da interface, as formas de manipulação do sistema (dedo, mouse, voz, gesto) e os sentimentos despertados pela interface. A percepção varia de pessoa para pessoa.
Water Splash by Ryan McGuire on Gratisography

Water Splash by Ryan McGuire on Gratisography

 

  • A experiência varia de acordo com a pessoa, o período e a circunstância: o sentimento da primeira descoberta não se compara à familiaridade que surge após dezenas de usos sucessivos. Um dispositivo considerado satisfatório pode tornar-se “doloroso” durante condições especiais, tais como: o desconforto causado pela falta ou excesso de iluminação ou uma multidão apressada utilizando o transporte público. Essas circunstâncias podem dificultar o uso de um aplicativo que, em outras condições, seria considerado muito eficaz. Da mesma forma, as variações de humor podem afetar o grau de tolerância e a paciência dos usuários.
  • A experiência jamais pode ser considerada como a simples soma das percepções de uma pessoa: a experiência nunca é a soma de uma série de percepções, mas é armazenada sob a forma de memórias e tende a afastar-se da percepção imediata para formar um conjunto complexo cuja história é posteriomente reconstruída e utilizada durante as interações pessoais.

Dessa forma, é sempre interessante questionar a reconstrução após uma experiência. Um bom hábito, após realizar os testes de produtos e aplicativos com usuários, é perguntá-los sobre a impressão que tiveram.

Às vezes, durante os testes, observamos os usuários lutam para realizar certas tarefas e pensamos que o retorno sobre o protótipo será extremamente negativo. Mas nem sempre é o que ocorre. Isso porque, frequentemente, a experiência reconstruída pelos usuários está longe da impressão que os observadores tiveram durante os testes.

Em seu clássico livro 100 Thinks Every Designer Needs to Know about People, Susan M. Weinschenk (2011) afirma que os humanos reconstroem suas memórias toda vez que se lembram delas: as próprias memórias mudam com o tempo. Isso significa que nossas lembranças mais vivas são distintas dos acontecimentos de nossa vida, pois passaram pelo filtro das experiências atuais.

Devido às inúmeras facetas que a experiência do usuário pode alcançar, não há uma definição única ou didática para o que seja o UX desing. Contudo, pode-se dizer que uma boa experiência do usuário é aquela que atende às necessidades de um usuário específico, em um contexto específico de uso do produto.

Exemplo 1: Aplicativo Starbucks e a opção de abandonar o menu completo

Somos criaturas de hábitos e muitas vezes pedimos repetidamente a mesma coisa ou giramos a partir de uma pequena lista de coisas. Portanto, para a maioria das pessoas, é mais fácil escolher aquilo que desejam em uma lista de itens já encomendados anteriormente ao invés de enfrentar as opções de um menu completo.

A Starbucks usa personalização inteligente em seu aplicativo para pedidos on-line ao entender os históricos e os padrões de compra dos usuários economizando tempo e fazendo com que raramente usem a opção para o menu completo. As guias “Destaque” e “Recentes” dão conta do recado.

Aplicativo da Starbucks para pedidos online Aplicativo da Starbucks favorece produtos em destaque e recentes para facilitar as decisões de compra dos usuários.

Voce poderia argumentar comigo que muitos aplicativos permitem adicionar itens a uma lista de favoritos, mas isso requer um passo extra, além do desperdício de tempo e atenção para selecionar, salvar, e nomear itens que quase nunca corresondem a uma lista completa e perfeita do que a gente provavelmente quer.

O que um UX designer deve considerar

Ao englobar toda a jornada do usuário, o designer de UX deve ser um profissional cujo conhecimento abrange campos multidisciplinares: design visual, programação, psicologia e design de interação.

Um designer que tem como foco a experiência do usuário é responsável por ser hands-on em processos de pesquisa, teste, desenvolvimento, conteúdo e prototipagem para verificar resultados de qualidade. Por isso, deve considerar o Porque, o Que e Como usar o produto.

  • PORQUE: envolve as motivações dos usuários para adotar um produto, quais as tarefas que desejam realizar, e a quais valores e visualizações o produto está associado.
  • QUE: aborda as coisas que as pessoas podem fazer com um produto – sua funcionalidade.
  • COMO: está relacionado com o design da funcionalidade de uma maneira acessível e esteticamente agradável.

Designers de UX começam com o PORQUE antes de determinar o QUE e, finalmente, pensar o COMO para criar produtos com os quais os usuários podem formar experiências significativas.

Projetar para usuários humanos também exige maior escopo em relação à acessibilidade e à acomodação das limitações físicas de muitos clientes. Pensar a usabilidade e o design da interface de usuário (UI) são aspectos importantes também do UX Design.

UX Design Methodology

Tarefas típicas de um designer UX:

As tarefas típicas de um designer de experiência de usuário podem variar de uma empresa para outra. No geral, englobam:

  • Realizar pesquisas com usuários.
  • Desenvolver personas.
  • Criar wireframes.
  • Desenvolver protótipos interativos.
  • Criar design de produtos para teste.

Os designers de UX devem ser defensores dos usuários e manter as necessidades dos mesmos no centro de todos os esforços criativos e desenvolvimento de produtos. O objetivo é identificar problemas relevantes e prover soluções otimizadas. O Human-Centered Design (HCD) mantém o foco nas pessoas e em todo o sistema para resolver os problemas certos.

O que é User Interface (UI) Design?

Os usuários são muito rápidos para julgar designers sobre usabilidade e simpatia de um aplicativo ou produto tecnológico. Dessa forma, o design de interface (UI) é o processo de fazer interfaces em software ou dispositivos computadorizados com foco na aparência ou estilo.

Designers de UI visam criar projetos que os usuários acharão agradáveis e fáceis de usar. O design da interface geralmente se refere a interfaces gráficas, mas também inclui outras propriedades, tais como: comandos de voz e comandos que os usuários acharão altamente úteis e eficientes.

Exemplo 2: MailChimp e seu mascote

MailChimp e seu Mascote

MailChimp deu ao aplicativo um rosto: o chimpanzé chamado Frederick von Chimpenheimer IV (ou Freddie, abreviado), aparece em todas as interfaces, adicionando humor, cumprimentos e uma conexão emocional com os usuários. Essa humanização adiciona profundidade à experiência estéril e entediante de gerenciar as atividaddes de e-mail marketing.

Tornar uma interface efetivamente invisível é o desafio de todo designer de interface. Você deve criar a ilusão de que os usuários não estão interagindo com um dispositivo, na medida em que tentam atingir as metas diretamente e da forma mais fácil possível.

Exemplo 3: Free File Sync e a eliminação de Ads durante o download do aplicativo

Camaleao Free Sync

A maioria dos aplicativos exibe anúncios desagradáveis quando são instalados. FreeFileSync mostra imagens de animais. É um pequeno toque, mas faz a diferença. Quanto menos intrusões de terceiros em nossa vida digital, melhor!

Para sustentar essa “mágica”, é necessário considerar que os usuários são seres humanos, com necessidades de conforto e baixa cargas cognitivas. Veja algumas recomendações:

  • Pontos de contato: faça com que elementos como botões e outros elementos comuns sejam executados de maneira previsível para que os usuários possam usá-los inconscientemente em qualquer lugar. O formulário devem seguir a mesma função.
  • Mantenha alta capacidade de descoberta. Rotule claramente os ícones e inclua affordances bem indicados.
  • Mantenha as interfaces simples e crie uma sensação “invisível”. Todo elemento deve servir a um propósito.
  • Respeite os olhos e a atenção do usuário em relação ao layout; foco na hierarquia e legibilidade:
  • Alinhamento – minimize seu número de linhas ou possibilidades de alinhamento (pense em texto justificado); normalmente escolha o alinhamento de borda (acima do centro).
  • Chame a atenção para os principais recursos usando: cor, brilho e contraste. Evite incluir cores ou botões excessivamente.
  • Texto através de tamanhos de fonte, tipo / ponderação em negrito, itálico, maiúscula e distância entre letras. Os usuários devem pegar significados do texto apenas com o passar dos olhos.
  • Minimize o número de ações para executar tarefas, mas concentre-se em uma função principal por página; orientar os usuários, indicando ações preferenciais.
  • Facilite tarefas complexas usando divulgação progressiva.

Exemplo 3: Duolinguo e a facilidade de aprender um novo idioma antes de decidir quanto irá pagar

Duolingo Aplicativo para Aprendizagem de Idiomas

O Duolingo é um aplicativo que ajuda pessoas a aprender um novo idioma. Essa é uma tarefa desafiadora e que pode ser cansativa e desmotivante para o usuário. Mas depois de três perguntas fáceis, os usuários já estão começando a aprender um novo idioma e definiram uma meta para o aprendizado.

Essa abordagem sem atrito é contrária à abordagem de muitos concorrentes que fazem com que os usuários decidam sobre um plano ao se inscrever antes de experimentar o produto. O Duolingo reduz o atrito que poderia fazer com que os usuários desistissem do processo.

Mais dicas:

  • Coloque os controles próximos aos objetos que os usuários desejam controlar.
  • Mantenha os usuários informados em relação às respostas / ações do sistema com feedback.
  • Considere os padrões para reduzir as cargas do usuário (por exemplo, formulários com preenchimento prévio).
  • Use padrões de design reutilizáveis ​​para orientar o comportamento em relação às funções de navegação e pesquisa.
  • Concentre-se em manter a consistência da marca.

Design de UX refere-se ao termo Design de Experiência do Usuário, enquanto Design de UI significa Design de Interface do Usuário. Ambos os elementos são cruciais para um produto e trabalham em conjunto. Mas apesar de seu relacionamento profissional, os papéis em si são bem diferentes, referindo-se a partes muito diferentes do processo e à disciplina de design. Onde o UX Design é um campo mais analítico e técnico, o UI Design está mais próximo do que chamamos de design gráfico, embora as responsabilidades sejam um pouco mais complexas.

Para resumir, observe no diagrama a seguir os principais aspectos relacionados à experiência do usuário e onde você, como designer, pode desenvolver a sua participação profissional:

UX Design Areas for Professional Work

Gostou? Conheça o PHOTOVIDEOBANK , envie sua arte e divulgue o seu trabalho com a gente!

Fontes:
DAUMAL, S. Design d’expérience utilisateur: principes et méthodes UX. 3ª ed. Paris: Eyrolles, 2018.
WEINSCHENK, S. 100 Things Every Designer Needs to Know About People. Berkley, CA: New Riders, 2011.
https://tekcollab.imdeo.com
https://www.interaction-design.org
https://careerfoundry.com

Publicado por: Cacau Freire
Produtora de Conteúdo
Contato: freire.cacau@gmail.com